Moda com propósito: como isso pode mudar o rumo da sua marca

O consumo de roupas não se limita a comprar o que está na moda. As pessoas querem saber de onde as roupas vieram, como foi feita a produção, qual a história da marca por trás delas. Essa mudança vem acontecendo e têm ganhado força através de movimentos como minimalismo e sobretudo pelo incentivo ao consumo consciente. A moda agora é com propósito.

O perfil do consumidor 4.0 é um fator importante para essas alterações já que com o avanço tecnológico temos pessoas cada vez mais interessadas em participar, interagir e construir junto com as marcas. Essas mudanças são uma realidade pois vivemos um um mundo cada vez conectado, estamos à um palmo de qualquer informação e ela se dissemina com rapidez. A questão é: o que as marcas estão fazendo para se adaptar a esse cenário? Continue lendo o post que vamos te explicar tudo!

O que significa moda com propósito?

De acordo com o relatório de inteligência do Sebrae, o conceito moda com propósito surgiu com André Carvalhal, ex-gerente de marketing da Farm e atual diretor co criativo da AHLMA, que se viu impactado ao perceber os reflexos da indústria da moda no planeta. Para Carvalhal a moda vai muito além da escolha de uma peça, ela também está interligada com o forma como nos relacionamos com as pessoas e com o meio ambiente, como fazemos nossas escolhas em vários âmbitos da vida e até mesmo na nossa espiritualidade. 

Para as empresas de moda, a lógica é a mesma: todo o processo que envolva a marca (criação, produção e comercialização) também faz parte de algo maior. Cabe aos produtores terem a consciência e inserirem significado ao que está sendo feito, pensando em um produto que considere as pessoas e seja uma ferramenta de conexão entre o cliente e a marca. (Fonte).

No cenário atual os consumidores não querem mais comprar por comprar, mas escolhem as peças de uma forma mais consciente, buscando algo que tenha significado. A busca é por peças que tragam experiências, sejam sustentáveis – se preocupando com o meio ambiente e não apenas presa em tendências. É preciso levar em conta outros aspectos como:

  • A matéria-prima utilizada;
  • Os padrões dos modelos que participarão dos desfiles;
  • Os temas que dão vida às coleções;
  • E a mão de obra empregada.

Slow fashion: uma vertente da moda com propósito 

O termo slow fashion surgiu como um contraponta ao fast fashion, que é a moda com produção e consumo em grande escala. No slow fashion a proposta é ter uma consciência socioambiental, praticar preços que considerem os aspectos sociais e ecológicos da produção, fomentar a confiança entre produtor e consumidor e estimular um consumo consciente.

Um dos pontos importantes do slow fashion é a valorização dos recursos locais, em contraponto a produção globalizada. Esse ato pode ser importante para potencializar a economia local pois incentiva e valoriza os produtores da região. 

Assista vídeo que explica melhor sobre assunto.

Um das vantagens do fast fashion é conseguir preços reduzidos devido a produção em larga escala. O slow fashion quer estar alinhado com a aplicação de preços justos que estejam de acordo como todo o processo produtivo, desde os insumos locais, a mão de obra empregada até a distribuição das peças. Isso acaba sendo possível, pois, há poucos intermediadores, ou seja, menos interferência nos preços dos produtos. 

Com a produção local, é possível a atuação colaborativa, o cliente pode criar um vínculo com a marca na qual ele conhece. Assim, os produtores, empreendedores e consumidores podem trabalhar juntos para um comércio mais justo para todos. 

Como a sua marca pode fazer a diferença?

Caso esteja se perguntando como a sua marca pode começar a atuar em alinhamento a moda com propósito, segue a resposta: 

Moda sustentável

Antes de mais nada, a preocupação com o meio ambiente precisa acontecer em todo empresa. Para a moda isso significa está atenta a toda a cadeia produtiva. É importante verificar a procedência das matérias-primas e utilizar recursos naturais de forma responsável.  É pensar no impacto que o seu produto tem no meio ambiente e propor medidas para reduzir. Nesse sentido, tudo isso são ações que refletem na marca e na visão que o seu cliente tem dela.

Moda com responsabilidade social

Uma das abordagens possíveis é desenvolver coleções que estejam associadas a alguma causa social. É possível fazer toda uma coleção baseada em uma campanha ou reverter parte da renda à uma instituição específica ou apoiar de alguma outra forma que possa ser relevante. Iniciativas como essa irão agregar valor ao seu negócio. É importante, no entanto, que essas ações estejam alinhadas com os valores da sua marca.

Moda inclusiva

A inclusão na moda não deixa de ser também uma responsabilidade social. Entender e  adaptar as peças para as necessidades de cada indivíduo facilita a vida dos portadores de deficiência e pode ser uma atuação da sua marca. Por isso, quem quiser entender mais sobre o assunto indicamos o podcast da Ana Sousa no blog Moda Pé no Chão no episódio que se fala sobre moda inclusiva

Quer agregar propósito a sua marca, mas não sabe por onde começar? Converse com um especialista na Selletiva que podemos te ajudar a enxergar esse caminho. 

 

Preocupar-se com o discurso da sua marca, os processos de produção e os cuidados com parceiros e colaboradores é um passo inicial com a finalidade de atingir um propósito.

Então, qual a moda que você quer produzir?